quinta-feira, 15 de março de 2012

Marias

Segunda-feira foi dia de pesagem, fomos ao peditra só para descansar esta mãe que depois de as  ter doentes quis saber se no entretanto tinham voltado ao percentil a que pertencem no que respeita ao peso. Quanto a isto tudo ok (MB engordou, em menos de mês e meio, 500 gramas e a MF 300), aliás tudo OK no que concerne ao crescimento das minhas crias (Graças a Deus!). 
O peditra diz que estão muito desenvoltas (eu diria antes: umas traquinas de primeira). Como se não bastasse a MF ter-se urinado enquanto estava ao meu colo (não vamos por aí pf...) e assim ter destruído os planos que tinha de darmos um passeio antes do regresso a casa, decidiram presentear-nos com as suas mais recentes graçolas: MB não descansa enquanto a pessoa que "seleccionou" (no caso em concreto a enfermeira, que foi amorosa...) não lhe retribui o olhar e logo em seguida um "olá", devo alertar  que a miúda é persistente e como tal não desarma à primeira. Observa a "presa", sorri e faz um ar dengosíssimo para a cativar...
A MF também exige atenção, e quando não a tem começa: "olha olha olha" não me perguntem porque não faço ideia onde aprendeu, nem com quem (e confesso que se não fosse a cara com que o faz e o modo como diz, eu não acharia graça nenhuma, aliás, isto é coisinha para ser devidamente corrigida...).
Os diálogos e brincadeiras entre elas (que nos deixam absolutamente fascinados) cada vez se repetem com mais frequência e juro que é absolutamente delicioso!
Ontem a tia L. ralhou à MF que começou a chorar (tanto mimo!!) e logo de seguida e por pura solidariedade, a MB também se fez ouvir alto e a bom som. Como diz o pai: "elas pertencem a uma seita" e a união que ali vislumbro não quero perder de vista nunca.
A MB faz aquilo a que eu chamo "os olhinhos do amor", pestaneja enquanto sorri da forma mais meiga que lhe conheço, basta que eu lhe dirija um olhar assim e ela retribui, ou então digo: "faz olhinhos do amor à mamã" et voilá!
A MF é a miúda mais ternurenta que conheço... adora encostar a cabeça à mana, dormir colada a ela e fazer-lhe festas... então agora que dão beijinhos, é uma ternura! mas não é só com a mana, connosco é igual, somos presentedos constantemente com abracinhos... e é tão bom, tão inacreditável pensar que são parte de nós, o quanto já cresceram e evoluíram... Se disser que este sentimento é o melhor do mundo e que compensa todas as birras e o cansaço imenso, acreditem que não estou a mentir. É realmente fabuloso.

2 comentários:

  1. Opah as tuas filhas devem ser mesmo amorosas ^^,
    Beijinhos***

    ResponderEliminar
  2. Eu que o diga...duplamente, a dobrar.
    maria

    ResponderEliminar