terça-feira, 29 de novembro de 2011

My Precious #32

Esta pulseira da Gucci tem tudo para me fazer feliz. Complementaria uma série de coordenados e tem berloques. E o que eu gosto de berloques e berloquinhos numa pulseira... manias.

Pulseira Gucci
pvp sob consulta

In Heaven




Mais uma das minhas marcas de eleição, desta feita no âmbito da decoração. Homes in Heaven, verdadeiramente divinal.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

*1 ano*

Esta Sexta andei numa correria louca. Aliás, andámos... na Quarta-feira quando chegámos ao Colégio disseram-me que a MB estava com febre, tinha vomitado por duas vezes e falaram-me de um surto de gastroenterite que andava por aí, eu abracei-a muito, olhei para a mana e supus que era melhor adiar os planos que tínhamos para Sexta: levá-las para a escola na mesma (entravam mais tarde, saiam bem mais cedo), levavam bolinho e cantavam os parabéns por lá, com quem passa tanto tempo com elas. A miúda arrebitou, à noite nada de febre, Quinta-Feira ainda que estivesse impecável eu temia que me ligassem e por isso, adiei a encomenda do bolo. Posto isto, Sexta não tínhamos o dito cujo para lhes cantarmos os parabéns na escola e no meio das mil e uma coisas que tínhamos para tratar (nomeadamente para a festinha de Sábado) lá encontramos um bolo daqueles mesmo bons, numa padaria bem nossa conhecida que nos foi lembrada pela MR. No Colégio tinham-nas prontas e com uma coroa cada uma quando lá chegamos. Os miúdos adoraram o bolo, as meninas as velas... elas adoraram aquela agitação e as palminhas e a cantoria, enfim...
Sábado juntamos a família nuclear: avós, bisavós e padrinhos e a ela juntamos todos os amigos que connosco têm vivido esta etapa das nossas vidas. Aqueles que têm estado sempre lá. Sempre preocupados e babadíssimos. Neste dia tão especial só quis por perto quem nos tem sempre ali, quem nunca se esquece de nós e com quem eu sei que posso sempre contar. Erámos 34 e as Marias souberam mesmo ser as anfitriãs. Faltaram alguns dos nossos amigos que por um ou outro motivo imperioso não poderam comparecer, mas amiguinhos, para o ano há mais!!
O bolo tal como já havia dito aqui estava escolhido há muito por mim, só não sabia a quem havia de entregar a sua feitura. Mas não podia ter escolhido melhor. O bolo estava delicioso, recebeu rasgados elogios e correspondeu às minhas (elevadas, confesso) expectativas. À Ana do blogue http://bolosdabola.blogspot.com/, um beijo enorme pelo excelente trabalho, amabilidade e disponibilidade sem iguais.
Optámos por fazer o lanche numa sala do Hotel Mercure- Gaia, por ser muito mais prático. Podemos aproveitar a festa ao máximo, sem grandes preocupações, apenas desfrutar de tudo e da companhia de todos. As Marias tiveram presentes lindos lindos, os tios primaram todos pela originalidade, conseguiram surpreender e ainda assim, acertar nas suas necessidades. A todos e uma vez mais, o meu muito obrigada por absolutamente tudo. As Marias têm mesmo, a melhor "família" do mundo!
À minha mãe um obrigada mil vezes maior...por ser o meu pilar, por ser o aconchego das 3, por ser absolutamente incasável. Por ser quem é.  Amo-te amo-te amo-te!!




quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Bons Motivos...

Estes são apenas dois dos motivos que me levaram a render uma vez mais à MaxMara...



Marias

As Marias farão um ano amanhã... e estão enormes. E este amor cresce também com elas; inunda-me a alma, o ser. Tomou realmente conta de mim.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

My Precious #31

As Marias estão quase a fazer um aninho e eu não consegui resistir a estas peças verdadeiramente magníficas da marca que tantas alegrias me proporciona. Falo da Pili Carrera, da qual sou fã...






My Mamma taught me better than that...

Este é um assunto delicado, que me mexe literalmente com os nervos, que me provoca uma urticária horrenda, que me faz querer amaldiçoar pessoas. Perturba-me ouvir dizer que estando uma grávida numa caixa de atendimento prioritário além de ter de chamar a atenção da funcionária para que cumpra o que é devido, a mesma tenha respondido que a grávida (repito a grávida, que se encontrava numa caixa prioritária) passará se os clientes que estão à sua frente não se importarem muito que tal suceda... Como?! (e não, nenhum dos tais clientes gozava de prioridade). A mim perturba-me que seja necessário existir caixas para tal efeito (por norma há uma caixa, duas com sorte!) porque tal significa que as pessoas não respeitam e não são dotadas do civismo que lhes permita ceder a prioridade a quem deve ser dada, é necessário estar escrito, vir em algum lado, é preciso que seja lei. É triste, mas é assim. Em quase um ano, só me foi cedida a passagem, de bom grado, voluntariamente e com um sorriso na cara, uma única vez. Aliás, mesmo nos elevadores dos centros comerciais são necessárias placas a informar que idosos, grávidas e pessoas que se fazem acompanhar de crianças têm prioridade... é lamentável. Sobretudo, quando já aconteceu tentarem descaradamente entrar à nossa frente nos ditos cujos (mesmo tendo chegado depois) sim, já sucedeu... as pessoas cedem a prioridade contrariadas (notoriamente contrariadas...), com má cara, olham de lado e falam baixinho e cedem (quando o fazem) porque está escrito na tal placa, ou assinalado na tal caixa, fazem a custo e porque tais indicações escritas a letra bem visível as obriga, não porque a sua educação, bom senso, o seu civismo o dita. E a mim incomoda-me saber que é esta a sociedade que temos. 

É Natal, é Natal...

Lá por casa já é Natal. A árvore já lá habita, ainda que falte um ou outro pormenor na nossa decoração natalícia (como seja um presépio daqueles mesmo giros). Adoro o Natal, como devem calcular já não são os presentes que me fazem suspirar, mas as luzes, as boas recordações que tenho em torno desta época,  a onda de solidariedade que desce sobre a generalidade das pessoas (e que infelizmente só ocorre por esta altura...), os doces (obviamente) e agora, e mais delicioso que tudo o resto, temos as nossas Marias... é maravilhoso contemplar as caras de espanto e os sorrisos delas quando olham para a árvore e sempre que veem o Pai Natal que os avós lhes compraram e que canta e baloiça... A música da Popota é coisa para as levar à loucura, a MB fica mesmo, atrevo-me a dizer, em êxtase. Só ontem devo ter visto a publicidade em questão umas 378 vezes e as miúdas começam logo a dançar e os olhitos brilham, basta dizer "É a Po-po-ta...", enfim... nada a fazer. Com as minhas filhas resultou e de que maneira.
Este ano ficou estipulado que presentes só mesmo para as crianças, que estamos em crise, é bom que haja contenção e ao fim e ao cabo quem dá às minhas filhas está a dar-me a mim e a dobrar, e assim, acabamos com o stress de comprar presentes para umas 20 pessoas, com a vantagem de se poupar de forma considerável. E assim será.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Dia Internacional de Sensibilização para a Prematuridade

Não fazia ideia que se assinaliva o dia em causa, mas sendo mãe de duas bebés prematuras (nascidas de 34 semanas e 3 dias) não pude deixar de o mencionar. Daqui a 8 dias celebraremos o seu 1.º aniversário e é com muita emoção, muita mesmo, que recordo todos os minutos vividos na unidade de neonatologia do Centro Hospitalar onde nasceram, e que tão bem as acolheu.
Fomos pais pela primeira vez e não há curso nenhum (nem mesmo o de preparação para o parto, por melhor que seja) que nos ensine a cuidar de um bebé (quanto mais de 2 em simultâneo!) e a lidar com a angústia que surge de uma série de dúvidas e do medo de que se possa estar a falhar... ali, naquele cantinho ensinaram-nos, porém, um sem fim de pequenos, grandes truques que nos fizeram vir para casa bem mais serenos (e eu diria informados).
As Marias nasceram com 2kg e 40 gr no caso da MF e 2 kg a MB, porém, o cerne da questão girava em torno do reflexo de sucção que não se encontrava ainda desenvolvido e que era necessário adquirir.
Ainda hoje recordamos o cheiro daquele serviço. As nossas conversas e os ensinamentos, sempre transmitidos com a calma e paciênca de quem sabe o que faz. Ás enfermeiras daquela unidade, sim, sobretudo às enfermeiras com quem convivemos aproximadamente duas semanas, cerca de 12 horas por dia o meu eterno obrigada. Obrigada pelas sábias palavras, pelo conforto, por as terem acalentado, por terem cuidado de nós os 4.
É com um orgulho imenso e uma tranquilidade que não se explica por palavras que as vejo a crescer saudáveis.

Deixo o link da Associção Portuguesa de Apoio ao Bebé Prematuro, a XXS, a quem possa interessar.

e já agora a notícia.




Adoro. É das minhas lojas preferidas. Falo da Companhia do Campo, nem mais.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Notas Soltas #16

Vestido LOVE,
pvp 44,09 euros

Perfecto,Uterqüe,
pvp 219 euros

Botins Zara,
pvp 79,95 euros
Pulseira, Casa Batalha,
pvp 20 euros

Pulseira Casa Batalha,
pvp 20 euros


terça-feira, 15 de novembro de 2011

Os Milagres da Maquilhagem

Ora bem, os meus avós costumam almoçar lá em casa Domingo sim, Domingo não e como devem calcular eu não visto a minha melhor roupa nem me maquilho para os receber, gosto de andar com roupa essenciamente confortável e largeirona quando estou em casa e como tal é nestes preparos que os recebo. O meu avô é como todos os avós, e como tal, para ele estou sempre mais magra (o que em parte não deixa de ser verdade) e isso por si só é um drama, motivo para ir parar a um sanatório (é assim que ele diz) um dia destes e não há-de tardar... a somar a isso, temos uma cara sem maquilhagem, onde as olheiras que escondo durante a semana ganham vida e às quais é impossível ficar indiferente. Isto dito, é bom de ver que o senhor acha sempre que  me está prestes a dar o badagaio e que não devo descansar e que não pode ser  e etc e tal.
Supondo que não ligo ao que me diz e que já não há nada  que possa fazer por mim, foi desabafar com quem, com quem?? com a minha mãe a quem confidenciou que me achava assim para o abatida, com uma carita muito branca, demasiado magra, com umas olheiras terríveis e que andava preocupado.  Eu que amo o meu avô e que sei que apesar de nem sempre o parecer, me sinto e estou bem, decidi que tinha de inverter a situação e tranquilizar o pobre coração de um avô em ânsias; pelo que, no Domingo passado, mantive a roupa de andar por casa mas coloquei maquilhagem, uma base, corrector, um blush et voilá! assim que me viu exclamou logo que estava com muitíssimo bom aspecto e eu, confesso, vi-lhe aquele sorriso e não pude deixar de me sentir (ainda) melhor. Louvada seja a maquilhagem...

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Notas Soltas #15

Sobretudo Capa, Blanco,
pvp 59,99 euros

Botim Zara,
pvp 79,95 euros

My Precious #30

Love it!! a LOT.

Carteir Gucci,
pvp 2.200 euros,
disponível em www.net-a-porter.com



Sexta-Feira encontrei um dos meus CD's preferidos de todo o sempre. Foi-me oferecido pela minha querida J., corria o ano de 2006. Ela teve a gentileza de me brindar com esta preciosidade. Assim que ouvi a primeira música fiquei rendida, absolutamente apaixonada e desde essa altura foi a banda sonora de momentos verdadeiramente marcantes da minha vida. As várias músicas fazem-me retroceder no tempo e vivenciar outra vez uma série de sentimentos, relembram-me uma fase muito boa da minha vida. Muito tempo depois voltei a encontra-lo e não me quero mais voltar a separar dele. Aconselho vivemente esta música, esta voz. Uma intérprete fabulosa a cantar o meu poeta de eleição.


quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Só Hoje

... e portanto, muito tempo depois, é que me apercebi que as minhas mãos, nomeadamente, as minhas unhas já tiveram melhores dias... Antes prezava imenso umas unhas muito bem arranjadas, de tal modo que recorri ao gel (e não, não andava com chapolas nas unhas). Tinha sempre as unhas impecáveis, porém, por volta dos 7 meses de gestação fui informada que para o parto seria melhor não ter o gel e lá fui eu tirar o um dos meus mais antigos aliados, até para me ir habituando e para que as unhas crescessem mais fortes (foi o melhor que fiz, porque elas nasceram prematuras, pelo que se tinha deixado para depois era capaz de ter sido tarde de mais...). No início estranhei: eu de unhas curtas (quase rentes ao dedo) e sem verniz, não era de todo possível. Mas era bem verdade, era pálpavel e bem visível, o Husband to be (que sabe bem como sou) elogiou e que até não ficava nada mal e eu, dito isto, nunca mais quis saber das ditas cujas. Pintá-las só mesmo uma vez por outra que se é para andar com o verniz lascado eu prefiro não ter nada, mas hoje, subitamente, senti uma vontade imensa de as ter novamente impecáveis. Voltar a colocar gel parece-me pouco viável porque tenho de dispor de tempo para lá ir e o Husband to be anda atarantado com o tanto que tem para fazer e a minha mãe já fica com as crias vezes mais do que suficientes e elas estão imparáveis; deixar a minha (adorada) mãe sozinha com elas não é opção e depois penso nisto tudinho e nas vezes que ia ter de desmarcar porque não podia ir e isso ia implicar andar com umas unhas menos cuidadas do que aquilo que pretendo e por isso, não é solução. Tempo para as arranjar eu em casa é outra dor de cabeça e como tal, fica sempre tudo a pender para o feiote porque ficam mal secas e afins... e assim, também subitamente e quase no mesmo segundo (sim que este chorrilho de ideias e imagens veio-me logo à mente) desisti de ter unhas bonitas. Para já terei de me contentar com o aceitável.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Das (minhas) Perdições

Botas Wintry, Louis Vuitton,
pvp 865 euros

Bota alta Fetish de 11 cm,
Louis Vuitton,
pvp 670 euros

Para lá de uns Louboutin (que me fazem sempre suspirar...) existe todo um mundo de possibilidades, e eu estou absolutamente rendida aos encantos destas preciosidades... As primeiras são perfeitas para um look mais casual, mais descontraído mas ainda assim sofisticado e fashion. As fetish para uma versão mais trendy a que ninguém fica indiferente.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

My Precious #29

Porque combina estilo com cultura, com originalidade...
Elegi esta Clutch da Olympia Le-Tan.

Clutch Olympia Le-Tan,
pvp 1.110 euros
disponível em www.matchesfashion.com



Dá que pensar

A MB já diz "olá", ou melhor diz "oá" e é do mais amoroso que há. Conseguisse eu descrever por palavras a carita que ela faz de cada vez que o pronuncia, é tão enternecedor... A par disso aprendeu a atirar beijinhos com a mãozita o que levou os avós ao delírio!
A MF continua com o seu dialecto sendo que a única palavra que profere com clareza, isto é, a única que entendemos, é mamã, ora nem mais. Porém, já deu os primeiros passos, com a nossa ajuda mas muito confiante, lá anda ela toda contente... e eu não consegui conter tanta emoção, tanta alegria por as ver crescer felizes e saudáveis... não há nada mais compensador, mais fascinante do que assistir a cada uma das suas conquistas, é verdadeiramente mágico assistir à evolução de cada uma... enche-me o coração, aconchega-me a alma, faz-me crer que nem tudo é em vão, que melhores dias virão, que virão sempre. São elas que me dão forças para prosseguir, para querer mais, para lutar. São as minhas Marias que me fazem esquecer que existem tantas pessoas indecentes, que me levam a acreditar que tudo é possível. E depois penso que há tanta gente que desconhece o privilégio que é tê-las. Porque elas são, sem dúvida, o meu maior privilégio.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Porque é impossível ficar indiferente

vi o apelo num dos meus blogues favoritos e tive de o partilhar... A Re-food precisa de ti!

Note to self

daqui.

A Menina Precisa

de um destes com a máxima urgência...

Casaco Uterqüe,
pvp 219 euros

Casaco Uterqüe,
pvp 219 euros

Casaco Zara,
pvp 129 euros

Marias

Enquanto que a MF fica fascinadíssima com as roupas, gosta de lhes tocar e aprecia os detalhes,- ainda hoje estava super entretida a ver um pormenor na sua camisola enquanto eu vestia a mana-, a MB vibra com os códigos, tantos livros naquela casa e a miúda foi logo engraçar com os meus códigos, acho que a minha amiga JM é que tinha razão, a palavra jurisprudência é capaz de vir a fazer parte do seu vocabulário do dia-a-dia e eu não sei se ria ou se chore...